Seguidores do Camaçari destaques.net

Pessoas visitando o blog neste momento.

sexta-feira, 22 de março de 2013

MAIRÍ: BEBÊ NASCE MORTO E MÃE MORRE DOIS DIAS DEPOIS.

Na manhã desta quinta-feira, 21 de março de 2013, uma jovem de 27 anos morreu no Hospital Deputado Luis Eduardo Magalhães de Mairi, e a família alega que houve negligência por parte do hospital. Familiares estavam revoltados em frente ao hospital, a Polícia Militar de Mairi e de Várzea da Roça estiveram no local para tranquilizar a situação. A família comentou que Jociene Lima da Silva, conhecida como Si, estava grávida e começou a sentir dores, foi ao hospital, mas a médica a mandou retornar, alegando que ainda não estava na hora. No início da semana ela retornou a unidade hospitalar por duas vezes sentindo dores e mandaram voltar para casa. Depois retornou, ficou internada e ganhou o bebê na última terça-feira (19), por volta do meio dia. O bebê nasceu morto, no dia seguinte a jovem recebeu alta, foi para casa e depois retornou ao hospital sentindo dores e morreu nesta quinta-feira, por volta das 7h da manhã. A Polícia Civil foi acionada, o Bel Zennon de Almeida, delegado de polícia, mencionou que esteve no hospital juntamente com o investigador, conversando com a médica. Segundo o delegado, a médica narrou que a jovem teve um filho que nasceu com o cordão umbilical enrolado no pescoço e morreu asfixiado. A médica passou um relatório para o delegado, dos procedimentos adotados e que ia fazer uma transferência da paciente por causa da piora, mas que estava aguardando uma desocupação de vagas em um hospital de Feira de Santana ou de Salvador. Zennon esclarece que só será possível determinar se houve realmente erro ou negligência após o Departamento de Polícia Técnica (DPT) determinar as causas da morte da paciente. Jociene estava morando com o esposo em uma fazenda na região da Feira do Rolo, próximo ao Ponto de Mairi. A mãe dela reside no bairro do Coqueiro, em Mairi. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Jacobina para ser nocropsiado, para saber a causa da morte. O hospital relatou para nossa reportagem que a paciente deu entrada na unidade e foi prontamente assistida pelo Clínico e Obstetra de plantão. Informa que foram realizados todos os procedimentos necessários. Após a melhora do quadro clínico a paciente recebeu alta hospitalar, porém após algumas horas retornou a unidade com queixas. Novamente foi acolhida prontamente pela equipe da unidade, foi identificada a necessidade de transferência para unidade de maiores recursos e a partir daí, foi solicitado o auxilio da Central de Regulação. Antes que houvesse retorno da Central de Regulação, a paciente evoluiu com a piora do quadro clínico. Ainda segundo o hospital, todas as manobras necessárias foram realizadas, porém sem sucesso. Diante do relato, o hospital reforça que todo o momento a paciente recebeu os cuidados necessários. Fonte: Agmar Rios